Make your own free website on Tripod.com
INÍCIO >> POESIAS CÓSMICAS >> ARIANE CELESTIA
Ariane Celestia
Sinto falta dos prados celestiais de Antares,
Das estradas cósmicas que me levavam a paz no teu corpo
Hoje, igual a um porto solitário, vivo neste Sistema apenas da lembrança
Ah, antigos barcos estelares, ainda sonhando em zarpar, tecendo esperança, almejando alto-mar
Passam Pescadores de meteoros, içando estrelas, banhando imagens
Cometas e poetas lunáticos, calados, navegando em abandonadas astronaves...
Visceja na poeira cósmica, o rosto róseo, eu marinheiro protonauta, singro nos rastros do azul do teu olhar

Passam agora galaxias em ions, violinos meninos em notas astrais
E no cais estelar, como anjo caido, ícaro ferido,
Alço novo vôo, desta vez de pelicano insano.
Na órbita de gaivota solitária, no tropel de pégaso perdido,
vou Celestia Ariane, a qualquer hora, ainda te encontrar.
Ariane, eu sei, estais guardada longe, bem longe em redomas siderais
Celestia nectar de flores, luzes e cristais.

Eu prometo, Navegarei entre minhas próprias poesias,
Entre letras mortas de saudade.
E chegarei, quando ninguém acreditar, em um Vôo secular,
Para pousar suave no teu olhar,

Fim da Odisséia: te amarei pela eternidade...

"Amar por ser amado é humano, mas amar pelo amor é angélico." - Alphonse de Lamartine




:: VOLTAR
Luzes Celestiais - © Todos os Direitos Reservados - ::Contato::